Esse texto é valioso para todos em busca de uma carreira bem sucedida no universo da arte. São 6 aspectos importantes para a construção de um arcabouço sólido, que sustente a especificidade de cada artista.

1Busca por conhecimento

Ou a gente vem ao mundo com talento mágico, ou constrói o nosso repertório de habilidades.

Há os que já nascem com determinada habilidade, que aos 8 anos já desenham mãos e cavalos com perfeição. Mas para muitos, existe a força da mensagem, o desejo pungente de passar para frente sua visão de mundo e uma técnica limitada, impondo barreiras para a contrução da obra.
Ironicamente, em ambos os casos é preciso uma sede interminável por conhecimento. O artista alcança a originalidade através da elaboração de tudo que vivencia, com destreza técnica alcançada através do constante aprendizado.

2Planejamento

O artista precisa equilibrar a parte subjetiva de sua profissão, onde pratica sua visão poética e empírica, com os aspectos práticos da vida de qualquer pessoa. Afinal, todo mundo tem compromissos financeiros e necessidades básicas. Portanto, se faz necessário compreender o aspecto profissional de sua trajetória.
É preciso entender o próprio trabalho como um nicho de mercado, no qual suas obras são produtos em busca de compradores. A compra gera visibilidade e recursos para que o acervo do artista possa crescer e se transfmormar, com qualidade e verdade.

3Público Alvo

O artista cria de acordo com a sua subjetividade, e no meio do caminho sua mensagem se alinha com aqueles que podemos chamar de público alvo. É imprescindível entender a própria obra, para que o artista trabalhe estrategicamente. Relacionando-se, então, com o público potencialmente colecionador, comprador etc.

4O Mercado

O artista precisa aprender sobre o seu próprio meio. Sobre a cultura popular e como funciona a sua cidade, em termos econômicos, políticos e de mercado. Dessa forma, pouco a pouco, o artista amplia sua visão do mercado local.
É importante conhecer os museus e galeiras da cidade e região, conversando com galeristas e curadores. Ter noção do próprio estilo e de como apresentá-lo ao mercado. O artista projeta sua carreira de acordo com aquilo que conheceu e interpretou sabiamente.

5Conhecimentos Administrativos

O artista com consciência da necessidade de administrar a produção, exposição e comercialização de suas obras, consegue planejar a sua carreira. Ao longo dos anos e em concordância com as transformações naturais do acervo.
É necessário conhecimentos práticos, de natureza administrativa. Como emitir notas fiscais, como autenticar suas obras, documentação necessária para doação, para ingresso em editais. Também descrição de peças para preservação da obra e todas as questões inerentes ao universo do profissional que vive de sua arte.

6Seja tribo. O valor do networking e da generosidade intelectual

Alguém por aí já deve ter escutado a frase “conhecimento dividido é conhecimento multiplicado” ou algo do tipo…

Essa máxima também se aplica ao artista e sua trajetória de erros, acertos e experiências inusitadas. Dividir a própria técnica, buscar por ajuda e refletir sobre novas formas de levar arte para os meios são apenas algumas das estratégias para se construir networking.
O artista que busca pelos artistas de sua região e conhece a história da sua cidade pelo ollhar das obras dos artistas locais, amplia seu repertório. Ele se vê no outro e tem ciência do próprio estilo e lugar social.

A criatividade para expor, a iniciativa de elaborar a marca em volta do próprio nome enquanto artista profissional, a generosidade de ensinar e a humildade para pedir ajudar aos parceiros constroem uma rede de conhecimento. Por si só ela já funciona como uma ação de marketing.


Leia mais:

Como Muka AME, você agarra as oportunidades?

Comentarios

comentarios

COMPARTILHAR
Responsável pela produção de conteúdo de uma plataforma apaixonada pela interdisciplinaridade brasileira. Escrevo sobre arte, mercado, design e trajetórias de sucesso.