Anos após anos, a visitação no Milan Design Week, todo mundo discute quais são as instalações preferidas do evento.

Por isso o site Elita teve a ideia de transformar as reuniões de designers e amigos, na casa de Valentina Ventrelli, em uma verdadeira premiação. O chamado Milano Design Award.
Uma das metas desse prêmio é documentar a evolução das tendências que nascem e se mostram através da Milan Design Week.

Outro grande objetivo é o de reconhecer o valor do trabalho da comunidade internacional do design

Após sete anos, o evento é também apoiado pelas instituições de design de Milão. Eles ajudam na seleção preliminar dos mais de 1500 eventos que acontecem no arredores da cidade na semana mais intensa do ano. A sétima edição do evento aconteceu no La Triennale di Milano, no dia seis de abril de 2017.

Milano Design Award para apoiar a mensagem da obra

A abertura aconteceu com duas premiações destinadas para pessoas e empresas que dedicaram parte de suas trajetórias a construir a história do evento. Os vencedores foram Cappellini para a categoria de Empresa Histórica para o Meio e Tom Dixon por seu trabalho como designer.

LG’s “S.F._Senses of the Future“, ganhou uma das principais honras deste ano.

A instalação de Tokujin Yoshioka foi feita de tecnologia OLED para criar um poético e esmagador ambiente.
Yoshioka imaginou uma série de esculturas em forma de cadeiras, feitas com vidro transparente e monitores, com imagens abstratas de cores e formas de paisagens naturais.

O pano de fundo foi uma impressionante parede de 30.000 pequeninas telas OLED, que imitavam a vibração e intensidade da luz do sol.

Foundation, uma exposição que mostrou o trabalho de Formafantasma, de dois designers italianos que escolheram Amsterda para viver, foi vencedora de dois prêmios: Best Technology and Press Choice. Foundation apresentou os experimentos com a luz de Formafantasma.

O trabalho se baseia em um aspecto artístico em relação a tecnologia, e a essência da instalação foi totalmente orquestrada através dos efeitos das luzes e cores criados pelos objetos colocados no local.

Os mais variados tipos e conceitos

Outra categoria, o de Melhor Conceito, foi concedida para Maarten Baas e sua instalaçãopara Lensvelt.

“May I have your attention, please?”

Posso ter a sua atenção, por favor? Essa frase fez parte de uma das partes mais interessantes do Design Week. Baas preencheu um dos velhos armazéns na parte central da chamada Central Railway Station com cadeiras e megafones. Os sons emitidos pareciam transitar entre barulho e choro, mas na verdade eram um conjunto de sussurros que vinham das mais diferentes fontes. O resultado foi uma inteligente analogia parodiando o desejo desesperado por atenção no meio digital, com o qual tanto temos que conviver.

O prêmio de Melhor Storytelling foi para Panasonic – “Electronics Meets Crafts,” projetado por GO ON and Panasonic Design, com Shuichi Furumi. A intenção foi de revelar a beleza das tradicionais objetos japoneses feitos à mão com aquilo que há de mais sofisticado em termos de tecnologia.

Três estágios de apreciação

A instalação aconteceu em três diferentes etapas, na histórica Accademia di Brera, a escola de arte italiana de maior prestígio. O primeiro espaço era um teatro onde vídeos inspiracionais eram projetados em uma tela de preciosos tecidos de quimono.
A segunda etapa mostrava objetos artesanais comuns da dia-a-dia japonês como jarras de chá, lâmpadas de bambo e baldes – todos eles preenchidos com produtos de alta tecnologia.
Curiosamente, era possível ouvir sons da floresta vindos dos jarros, os baldes eram capazes de manter o saque na temperatura correta e as lâmpadas pareciam não ter um fonte de luz. A terceira etapa mostrava a parte colaborativa do trabalho conduzida pela Panasonic com os estudantes universitários de design.

Uma das instalações mais fotografadas da semana foi a “New Spring,” pelo Studio Swine para COS. Suas árvores minimalistas criavam bolhas de fumaça perfumadas, e os visitantes esperavam horas na fila para tirar fotos e selfies.

A obra gerou tanto envolvimento com o público, com  muitos sorrisos genuínos. Tudo isso fez com que a instalação levasse o prêmio de Maior Envolvimento.

Um novo lugar ao sol

Unicórnio é uma nova modalidade da competição e seu objetivo é premiar instalações que são difíceis de definir, que estão no limiar das disciplinas ou inspirações.

O vencedor do Unicórnio foi “Superfollies” por Nobody&co com colaboração do Studio Toogood e Arabeschi di Latte.
A pequena graciosa escultura de madeira que é o Unicórnio foi projetada pelo artista Duilio Forte.

 

INSCREVA-SE - NEWSLETTER

Para receber dicas e matérias de quem vive a arte, basta cadastrar-se colocando seu e-mail abaixo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here